Psicologia Positiva não é autoajuda

Quer encontrar um livro de Psicologia Positiva (PP)? Vá até a sessão de autoajuda da livraria mais próxima. Você vai encontrar livros muito bons por lá. Antes de ir à sessão de livros de Psicologia, eu sempre passo antes pela Autoajuda e é lá que eu encontro os melhores materiais de estudo. Por que isso acontece?

Provavelmente porque se trata de uma grande mudança de paradigma na Psicologia. Antigamente, assuntos como felicidade, bem-estar, propósito não eram objeto de estudo científico de forma sistematizada e residiam de forma preponderante no campo da autoajuda. Sair de um modelo focado na doença e no sofrimento para uma linha teórica focada na felicidade é uma mudança muito ampla e significativa para a Psicologia. Assim, pode ficar parecendo que muitas das coisas que os autores de PP divulgam em seus livros é autoajuda mesmo. Mas não é.

Qual a diferença? Existem várias. A primeira delas é que PP é ciência. Os principais autores da área escrevem dos maiores centros de pesquisa em Psicologia do mundo. Eles estão conectados com o que está sendo produzido de mais moderno na área de comportamento humano e de neurociências. São atualizados e inovadores. Assumiram o compromisso de romper com a crença comum de que a Psicologia deve se ater ao sofrimento psíquico. Mesmo porque a melhor forma de combater a depressão é por meio de uma vida com significado e prazerosa, temas de estudo da PP.

Outra grande diferença é que a PP não fornece fórmulas prontas de felicidade. Os estudos indicam que emoções positivas, engajamento, relacionamentos gratificantes, ter um propósito na vida e nossas realizações pessoais são aspectos que tornam nossa vida mais feliz. Mas construir emoções positivas, encontrar o que faz sentido para cada um, ajudar a superar os desafios de um relacionamento difícil, ir em busca de nossas realizações não são passíveis de serem aprendidos em livros. Eles podem até nos indicar caminhos, mas a jornada é muito mais complexa do que as leituras de autoajuda nos fazem crer.

E cada um irá descobrir o seu próprio caminho. O que faz a vida ter sentido para mim é com certeza diferente do que faz ela ter sentido para você. E o respeito à subjetividade e à trajetória individual e social de uma pessoa é uma das grandes contribuições da Psicologia para a Humanidade, seja ela de qual linha teórica for.

Vania Moraes, psicóloga e life coach

Psicologia Positiva não é pensamento positivo

Um resultado positivo dificilmente advém de um pensamento negativo, mas isso acontece. E não é tão raro assim, pois os resultados que colhemos são fruto de nossas ações, de nossos comportamentos, de nossos hábitos e também de nossos pensamentos.

Tudo começa pelo pensamento. Mas não termina nele. Há uma sequência de eventos, desde o pensar e o imaginar até o atingimento de um objetivo. Se apenas pensamos de forma positiva, mas não partimos para a ação e para o empenho individual, dificilmente colheremos os frutos de nossos pensamentos, salvo um acaso da sorte. E você não quer apenas contar com a sorte, quer?

Além disso, há pessoas pessimistas e ansiosas que alcançam bons resultados, provavelmente porque se preparam para enfrentar as adversidades que supõem que irão encontrar. O problema nesses casos é que trata-se de uma jornada de sofrimento, desgastante, que muitas vezes não compensa o objetivo alcançado. E é provável que o resultado fosse ainda melhor se além do bom desempenho, houvesse bons pensamentos associados a ele.

Há vários estudos que demonstram que a nossa mente não diferencia a nossa imaginação ou conteúdos assistidos em um filme da realidade. E as pesquisas já avançaram tanto nesse campo que há muito tempo o treinamento de atletas de alta performance já envolve a simulação mental do desempenho em uma competição.

Charles Duhigg, em seu livro O Poder do Hábito, cita a rotina de treinamentos do campeão olímpico de natação Michael Phelps. Parte dos seus treinos consistia em se imaginar nadando em sua melhor performance, segundo a segundo, simulando mentalmente a totalidade de seus movimentos, sentido o contato do seu corpo com a água, a resistência que essa oferecia, o momento certo de virar. Por que ele fazia isso e tantos outros atletas fazem isso atualmente? Porque o ensaio mental nos prepara para enfrentarmos desafios reais.

Mas ele não é suficiente. É preciso praticar, praticar, praticar. Errar, aprender com os erros, reforçar os acertos e perseverar. Se mantemos um pensamento positivo enquanto lutamos pelo que queremos conquistar, excelente! O pensamento positivo irá nos trazer otimismo, resiliência, resistência à frustração e nos ajuda a superarmos as nossas crenças limitantes. Mas pensamento positivo não é suficiente. A ação é sempre necessária.

Por isso, Psicologia Positiva começa com o pensamento sim. É ele que nos traz clareza sobre o nosso propósito, que nos ajuda a formular objetivos, nos mantém conectados com o que faz sentido para nós e nos organiza para a ação. Mas Psicologia Positiva também está relacionada com hábitos e rotinas saudáveis, viabilizadores de felicidade, e com comportamentos produtivos e realizadores.

Portanto, além de um pensamento positivo, tenha um comportamento positivo.

Vania Moraes, psicóloga e life coach

Você quer ter sucesso?

Todo mundo quer ter sucesso na vida. Contudo, muitos desistem e pensam no sucesso apenas como um sonho distante. Outros estão na correria do dia a dia e não têm muita clareza de para onde estão indo. Se tudo mundo quer ter sucesso, mas poucos investem para tanto, e menos pessoas ainda o alcançam, o que acontece?

Como o foco da Psicologia Positiva está no que funciona, para entender melhor o sucesso, as pesquisas e os estudos da área baseiam-se na observação de quem de fato o alcançou. Quais são, portanto, as características das pessoas com sucesso?

Foram mapeados cinco aspectos:

  • Objetivos bem claros
  • Resiliência
  • Otimismo
  • Modelos para copiar
  • Foco nas forças pessoais

Observe que “circunstâncias favoráveis” ou “ser rico” não fazem parte dessa lista. Então, provavelmente, para a maioria das pessoas que obteve sucesso, triunfar não foi uma tarefa fácil.

E a primeira dificuldade começa com a pergunta: O que é sucesso para você? Você tem consciência do que você quer alcançar e do porque isso é importante? Sucesso é um objetivo intangível e precisa ser transformado em algo mais palpável para que você saiba se está indo na direção certa ou não. Onde você estará quando atingir o sucesso que almeja? Você sabe quais os passos necessários para chegar lá?

O segundo ponto está no entendimento de que sucesso trará felicidade e é justamente o contrário. Pessoas felizes têm mais sucesso que pessoas infelizes. Portanto, corra atrás da sua felicidade e você terá sucesso.

E os cinco aspectos apontados acima são justamente características de pessoas felizes. O ponto inicial é ter um propósito, que possa ser convertido em objetivos claros. Ele também precisa ser motivador o suficiente para você ter resiliência diante das dificuldades para que não desista, mas aprenda com os erros e os insucessos, se fortalecendo. Para ser motivador, ele precisa ser importante para você, precisa ser algo que você valorize.

Um propósito de vida é algo que traz valor para você e para os outros. Qual é a sua missão? O que você veio fazer neste mundo, nesta vida? Qual é a sua contribuição? Se você tivesse sucesso em seu propósito e ficasse muito rico com isso, mas as pessoas não pudessem ver a sua riqueza, dinheiro seria importante quando você pensa em ter sucesso? Ou os seus indicadores de sucesso estariam mais relacionados ao que você pode fazer de diferença no mundo?

O otimismo, por outro lado, está relacionado à percepção da sua capacidade de realização. Essa habilidade é potencializada quando utilizamos nossas forças pessoais e quando temos modelos para copiar. Quando obsersamos pessoas que conquistaram aquilo que queremos conquistar, conseguimos aumentar a nossa clareza do que é preciso fazer para alcançarmos aos nossos objetivos. Se você sabe onde quer chegar e tem as forças necessárias para isso, trabalhe com otimismo, pois as suas chances de sucesso são muito grandes! Se ainda lhe falta desenvolver habilidades específicas, utilize suas forças para lhe ajudar a desenvolvê-las.

E, enquanto caminha em direção ao seu propósito, utilizando suas forças pessoais de forma otimista, aprecie o que há de bom na sua vida, torne a sua jornada prazerosa e positiva. Insira momentos de prazer ao longo do dia, tendo cuidado para que eles não te desviem dos seus objetivos.

E tenha sempre em mente: onde você quer estar daqui a 5 anos?

Vania Moraes, psicóloga e life coach