Dicas para auxiliar seus filhos no ensino online

Com o nosso novo normal, o ensino online passou a fazer parte de nossas vidas, de modo contínuo ou intermitente. No caso de adultos, o modelo já estava consolidado antes da pandemia e apenas se aprimorou e se expandiu. No caso de crianças e adolescente, a situação é diferente.

Assim, apresentamos aqui dicas valiosas para auxiliar nessa batalha que é sermos pais e mães de estudantes online. Vamos lá?!

1) Prepare o ambiente para a aula do seu filho, caso ele seja pequeno, ou confira se está tudo ok, caso ele seja maior (neste caso apenas confira porque a preparação é por conta dele, né?!). Veja se a tela está de modo que ele apareça na imagem, se o som está ok, se o material da aula está perto dele (esse material deve ser preparado antes do início da aula). Não esqueça de que esse ambiente tem que ser bem iluminado e confortável, mas sem inúmeras distrações, tipo televisão, brinquedos e outras coisas que levem seu filho a preterir a aula. Mesmo assim, saiba que ele irá se distrair.

2) Acompanhe algumas aulas, mesmo que distante e observe se o seu filho se sente visto e se é ouvido pelo professor. Veja como ele é chamado pelo professor e pelos colegas e se ele interage com a turma e o conteúdo. Se achar que as coisas não estão indo muito bem, entre em contato com a escola. Observou que alguma atividade gerou mais entusiasmo e engajamento, dê feedbacks positivos para a escola também. Não adianta apenas criticar, é preciso ajudar a pensar as soluções e indicar o que funciona melhor para o seu filho.

3) Quanto menor for seu filho menor a capacidade de engajamento com a aula. Aulas muito longas não funcionam bem. Caso a aula seja longa, vale conversar com a escola para que a aula tenha conteúdos bem diversificados, de modo a manter o engajamento das crianças com o conteúdo.

4) Converse sobre o conteúdo com eles em momento posterior à aula. Isso irá criar uma maior interação da criança com o conteúdo, além de ser uma forma de valorizar o ensino e o enorme esforço que seu filho está fazendo para acompanhar a aula. Além disso, ao fazer isso, você conseguirá identificar quais são as dificuldades que ele pode estar tendo.

5) Não permita que as crianças, principalmente as pequenas, fiquem com fones, pois você não conseguirá ouvir o que está acontecendo na aula. A mesma coisa vale para as câmeras. Você não é onipresente e o professor também tem de se responsabilizar pelo acompanhamento dos alunos e, para que isso aconteça, ele precisa vê-los.

6) Seu filho deve se sentir apoiado durante a aula. Você não precisa estar o tempo todo ao lado dele, mas ele deve saber a quem procurar quando precisar de ajuda. Se você não pode acompanhar a aula, indique para seu filho que qualquer incômodo ou dificuldade que ele tiver, ele deve te falar assim que se encontrarem. E não espere que ele tome a iniciativa, puxe conversa e se informe sempre sobre como estão sendo as aulas e quais as dificuldades que ele está tendo.

7) Oriente a criança sobre o que fazer caso algum equipamento apresente problema. Peça inclusive que ela avise o professor, se possível. O importante é sinalizar que problemas tecnológicos acontecem, alguns eles mesmos serão capazes de resolver (às vezes sair e entrar novamente no link ajuda), mas que se não der certo, tudo bem.

8) Observe se seu filho consegue se expressar com a professora e com a turma e procure incentivar e validar as iniciativas dele neste sentido.

9) Veja se ele se sente confortável pela maneira pela qual ele é chamado na aula. Alguns professores chamam o nome composto, outros chamam o primeiro nome, outros chamam abreviaturas de nomes, de forma carinhosa (tipo Lu, Ju, Gabis), mas será que o apelido que o professor pôs é aquele com o qual ele mais se identifica? Quanto mais acolhido ele se sentir neste momento, melhor e, às vezes, a forma como ele é chamado pode facilitar a sensação de estar sendo visto e respeitado em sua individualidade.

10) Converse com seu filho sobre como ele vem se sentindo na aula. Se a aula gera tristeza, alegria, ansiedade… Essa análise é importante e deve ser feita periodicamente. Ao ouvir sobre as emoções, valide-as! Mais uma vez: valide-as! Isso é muito difícil de se fazer, mas vale muito a pena. Não diga como ele deve se sentir ou que o que ele está sentindo é bobagem ou vai passar. Apenas ouça e repita o que ele te disse, reafirmando que a emoção dele é compatível com o acontecimento, mesmo que haja uma desproporção na intensidade. O que ele precisa é de acolhimento e não de julgamento.

11) Promova atividades fora do período de aulas que permitam que as crianças tenham contato com a natureza e com exercícios físicos. A aula online é mais parada do que a presencial e ainda não há as brincadeiras do recreio/intervalo. Compensando isso com mais atividades fora do horário da aula, você proporcionará mais qualidade de vida para o seu filho.

Vania Moraes | Psicoterapia, Hipnose e Constelação Familiar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s